Destaques
Sejam bem vindos ao Allie X Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira de notícias para a cantora e compositora, Allie X. Aqui vocês encontrarão as últimas notícias e outros conteúdos sobre Allie, nos sigam em nossas redes sociais para notícias em tempo real! Esperamos que gostem e voltem sempre!
ALLIE X e VÉRITÉ falam sobre “Casanova” com Idolator

Allie X e VÉRITÉ são duas das mais brilhantes faces emergentes do pop. Armadas com vozes distintas e algumas das produções mais inovadoras, elas tem firmado seu lugar na indústria ao longo dos últimos anos. 2017 foi o ano aonde ambas alcançaram grandes marcas aonde lançaram não apenas seus álbuns de estreia, como também viajaram pelo país para interagir com seus fãs em novos lugares.

Apesar de Allie, nascida no Canadá e residente de Los Angeles, viver do outro lado do país em relação a VERITE (que é nativa de Nova Iorque), o par traçou um caminho de carreira similar. Elas são duas das mais ousadas cantoras independentes lançando música no momento, aonde elas ignoram as regras e sons tradicionais para cirarem conteúdo que ressoe com elas.

Por isso que é sem surpresas que as duas recentemente se uniram em um remix de “Casanova” de Allie X. Nessa faixa, Allie canta sobre amores desinteressados pelos quais ela se encontra atraída. Rapidamente a faixa se tornou uma faixa favorita dos fãs no CollXtion II então ela decidiu a revisitar após finalizar uma campanha promocional para a convincente “Paper Love”. No entanto, ao invés de apenas lançar a versão original ela trouxe VERITE para uma nova versão empoderadora.

Lançada hoje, a faixa atualizada vai fundo tanto quanto anes, mas a entrega de VERITE adiciona uma nova dimensão, já que o par troca frases e acha algumas harmonias interessantes. “You’re no Casanova, got to let you go. Hit me on my blind side, left me on the floor. Now I can see a bright light, body getting cold. There’s something ’bout your touch that I can’t leave alone”, canta o par com uma convicção cristalina. Tem uma beleza obscura em suas voz enquanto elas batalham com seus amores angustiantes, e a produção é rodeada com uma frenética energia. É um hit sólido do par e tem o potencial de trazer ainda mais exposição para ambas.

O Idolator teve recentemente a chance de conversar com o par sobre sua colaboração. Allie explicou o que a atraiu para a música e a vontade de trabalhar com VÉRITÉ, e ambas compartilharam como ocorreu o processo de gravação. Elas fizeram alusões a potenciais surpresas num futuro próximo. O duo ainda deu conselhos para artistas emergentes que querem replicar suas ascensões e também discutiram o som em mudança constante da música pop. Tenha a chance de conhece-las um pouco melhor e faça o stream da nova faixa abaixo.

Allie, como você selecionou “Casanova” como sua nova faixa a ser trabalhada do CollXtion II?

Allie X: Bem, “Casanova” é aquela que realmente explode ao vivo. Na turnê, eu acho que era a terceira música no set, e era meio que a quebradora de gelo aonde as pessoas ficavam doidas e começavam a gritar a letra, etc. Então, era um bom sinal. Nas plataformas de streaming, nunca teve algum tipo de investimento, mas era organicamente a faixa que estava tendo o maior crescimento. Isso acaba respondendo de uma forma meio entediante.

O que te fez entrar em contato com VERITE quando você queria fazer um remix?

Allie X: VERITE eu admiro muito e me identifico bastante porque somos ambas independentes, e acho que nós duas comandamos nossos próprios barcos. Estamos muito envolvidas em cada aspecto do que fazemos no lado dos negócios, no lado criativo, e no lado da música, obviamente. Então eu apenas tive a ideia. Achei que a voz dela era perfeita para uma colaboração no que eu visualizei para a música. Acho que eu nunca colaborei publicamente com uma mulher antes, então isso é algo que eu realmente queria fazer.

VERITE, o que te atraiu para a música quando Allie entrou em contato?

VERITE: Bem, eu sinto que quando Allie entrou em contato inicialmente foi meio que apresentado para a minha equipe como meio que “escolha uma música” de certa forma. E eu não sabia que ela estava escolhendo “Casanova”, e eu fui em frente e disse “eu quero fazer ‘Casanova'”, porque eu havia ouvido a música antes e o drop nela, ele me faz muito feliz. Era o tipo de música que eu estava atraída. E como você fala tão rispidamente “fuck me over”, era a escolha perfeita.

É um hino.

VERITE: É um hino. É definitivamente um hino.

Quando vocês gravaram, obviamente, Allie sua parte já estava gravada anteriormente, mas você se reuniram em estúdio juntas em algum momento?

VERITE: Então, eu gravei os vocais em Nova Iorque aleatoriamente. Allie e eu na realidade não nos encontramos em pessoa ainda. Já trocamos muitas mensagem e nos conhecemos por alguns anos, mas tudo tem sido feito de forma meio que remotamente por nós.

Allie X: Sim, nós estivemos na estrada na maior parte deste processo, então começava e parava. E claro, VERITE está morando em Nova Iorque e eu aqui. Então tivemos que fazer tudo à distância.

No futuro vocês acham que irão ter algumas performances juntas?

Allie X: Eu espero que sim. Nós temos alguns planos que eu realmente não posso anunciar ainda, mas temos definitivamente algumas ideias.

Ambas de vocês já trabalharam em projetos muito visuais. Estou imaginando, vocês tem algum vídeo sendo trabalhado para o projeto? Se sim, vocês podem dar alguns detalhes, ou se não, vocês podem dizer de imediato o que imaginam para um tratamento visual, como ele pareceria?

Allie X: Eu posso dizer que tem realmente algo sendo trabalhado, e não posso dizer mais nada além disso.

Continue deixando a gente pensando. E no passado, ambas de vocês trabalharam em remixes similares a este. Allie em particular, você acabou de aparecer no remix de Mattress” de Leland. Qual é a ideia quando se revisita uma faixa desta forma?

Allie X: Tipo, em uma perspectiva de streaming, definitivamente tem suas vantagens. Não sei. Acho que fãs sempre estão dispostos a ouvir colaborações e suas músicas favoritas reimaginandas.

VERITE: E para mim é interessante. Obviamente estou entrando dentro do mundo de Allie. Foi um desafio criativo e divertido tentar descobrir como me inserir de uma forma que prestasse homenagens à música original e sua vibe, mas ao mesmo tempo fazer as partes que eu adicionei funcionarem da minha maneira de certa forma. E eu amo quando as pessoas vem colaborar comigo no mei mundo, e eu amo entrar no mundo delas de uma certa forma.

Allie X: Eu iria dizer justamente isso, é uma das melhores partes de ser uma artista. Acho que colaborar e combinar as habilidades de diferentes pessoas, suas vozes e seus talentos, é essa a mágica que pode acontecer quando você coloca dois artistas juntos nesse sentido. Sempre acho isso como uma compositora também. Gosto de escrever sozinha, mas eu realmente gosto mais de co-escrever. É meio como um projeto científico estranho. Os resultados são sempre diferentes e legais. É muito animador.

E Allie, você em particular tem trabalhado muito extensivamente com artistas, assim como Leland e Troye Sivan são dois exemplos obvios de onde você desenvolve uma química real no estúdio. Como é trabalhar juntos novamente após levar um tempo entre esses projetos?

Allie X: É sempre uma festa com esses caras. Viramos amigos de verdade. Na realidade temos até os mesmos empresários então somos como uma pequena família. Nós na realidade acamos de ter uma semana juntos. Alugamos um lugar em Malibu, foi muito divertido. É sempre um bom momento. Tem um monte de… como eu posso descrever? Nós fizemos meio que dança de strippers para essas músicas bem inapropriadas. Eu gostaria de ter um vídeo para te mostrar. Na realidade, Troye postou algo sem audio. Se você olhar em seu twitter vai ver um desses aonde estamos fazendo essa dança.

Isso soa mágico, e eu amo isso. Vocês duas conseguiram criar seus próprios caminhos distintos dentro da indústria da música enquanto continuaram ferozmente independentes. Vocês tem algum conselho a dar para novos artistas que estão tentando seguir o mesmo caminho?

Allie X: VERITE, o que você acha?

VERITE: Ah Deus. Digo, sim eu tenho muitos conselhos. Acho que é interessante. Acho que além das perspectivas das vidas das pessoas em geral, você sempre vê essa visão exterior de como tudo é polido e etc. E eu acho que provavelmente Allie iria concordar, mas é como correr com um projeto planejado, você sente as mêcanicas, o sentimento de como funciona. E é essa prática, o processo de colocar um pé na frente do outro e se levar adiante para criar músicas melhores e uma arte melhor. E ao se esforçar em continuar focada e compromissada mesmo quando as coisas estão difíceis. Mas no final das contas, a recompensa é que eu faço a música que eu quero fazer e continuar a crescer, engajar pessoas e compartilhar coisas. Então eu acho que resiliência e persistência são realmente importantes e não se comparar com as pessoas ao seu redor de certa forma.

Allie X: Eu assino embaixo. Eu concordo com tudo o que ela disse. Sim, é realmente engraçado fazer a transição entre ser uma jovem criança que sonhou ser uma cantora até chegar aonde estou agora. E agora vendo tudo, tem muito glamour envolvido. Mas não é apenas isso, você realmente acaba conhecendo a si mesma como pessoa e é uma jornada sem precedentes tentar se tornar uma artista. É uma puta viagem. Algumas pessoas tem a sorte de conseguir de primeira, mas na maioria das vezes você tem que lutar por um longo tempo. Realmente olhe para si mesma. Encontre seu som. Não ouça outras pessoas a não ser que faça sentido para você por dentro. Mas sim, vá, vá, vá, vá, vá, e encontre seu objetivo.

Com certeza. E voltando a “Casanova” e indo além a partir daí, qual outra música do CollXtion II você gostaria de lançar de forma remix e com quem mais você gostaria de colaborar?

Allie X: Caramba, eu não quero dizer nada que me deixe em problemas. Uma coisa que eu vou dizer é que minha música, “True Love Is Violent”, é uma das minhas favoritas no álbum, e eu amaria lançar uma versão puramente no piano em uma nota mais alta. Isso é uma coisa que eu tenho pensado no momento. Eu estou também muito focada em escrever novas músicas no momento. Então minha cabeça está meio que aí.

E quanto a você, VERITE, com o Somewhere In Between existe alguma faixa que você gostaria de revisitar no projeto?

VERITE: Sim. Tem algumas que eu comecei a olhar de uma forma diferente. E estou no mesmo barco que Allie: não quero dizer nada que irá me deixar em problemas, mas estou meio que no barco das pessoas que sentem que o cíclo entre álbuns ficam cada vez menores. Isso é meu foco no momento, acabei de ir para Los Angeles e eu estou aqui por umas três semanas e escrevendo novas músicas e meio que tentando visualizar como o próximo capítulo será ou como será a ponte para esse próximo capítulo.

Como criadoras e compositoras, alguma de vocês tem uma música que vocês trabalharam e diriam que foi uma música especial que deixaram escapar de certa forma?

Allie X: Não. Sou muito egoísta.

VERITE: Não.

Allie X: Não estive nessa posição. Normalmente se algo é para mim, vai ser para mim e os compositores que estão trabalhando comigo sabem que é para mim. E parece para mim que as pessoas não querem escolher esses tipos de músicas, de qualquer forma. Não sei. Sinto que esse é um problema de primeira classe e eu ainda não cheguei nesse ponto ainda. Sinto que Charli XCX ou Sia tem esses problemas, mas não essa pequenina eu.

Existem faixas que você incluiu na coleção Unsolved no Spotify que não fizeram parte do CollXtion II que você gostaria de revisitar?

Allie X: Sim. Eu tenho um lugar especial no meu coração para minha música “Too Much To Dream”. Quando eu fiz essa, eu ainda não tinha encontrado a sonoridade correta do CollXtion II ainda, e eu meio que brinquei com como esse som seria reproduzido. Isso é algo que eu tenho pensado.

Allie você expressou uma apreciação pela direção na qual a música pop tem viahado no momento, mas claramente isso está sempre mudando. E está mudando rápido. O que você acha que está vindo a seguir, e como você acha que se encaixa nessa nova direção na qual estamos indo?

Allie X: Mas que pergunta! Honestamente, isso é como se você entrasse em qualquer sessão de composições em Los Angeles, e hoje tem provavelmente centenas, e é exatamente isso que todo mundo está tentando descobrir. Não sei. É uma floresta de música e é muito animador mas meio que… No momento, por causa das plataformas de streaming, você realmente não sabe. Nós definitivamente ouvimos, eu acho que já ouvimos o suficiente do sample vocal do estilo do Diplo. Tipo músicas com o som de “Lean On”. Acho que isso já está saturado e estamos indo para uma nova direção. Definitivamente a música urbana está assumindo a direção, o que é legal. As letras estão ficando mais abstratas, o que eu gosto muito. Sim, eu não sei, nós teremos que esperar e ver. Mas é algo que eu estou consciente. É um desafio, já que quando estou escrevenbdo material novo, não quero pensar em nada disso. Só quero fazer coisas que venham naturalmente, que signifiquem algo e me façam sentir algo. Mas ao mesmo tempo, se você está tentando existir numa esfera pop, você tem que considerar o som e para onde está indo.

E VERITE, mesma pergunta para você. Aonde você acha que se encaixa na direção sonora no momento?

VERITE: Sinto que sempre fui a diferentona da música pop de certa forma. Mas é meio que, por exemplo, no momento, e eu realmente amo reggaeton, mas tem essa grande vibe e reggaeton. E eu sinto que é o que acontece quando você tem muitas músicas boas no momento, e então você tem os líderes de um novo som ou de uma nova interpretação do novo som, então você tem centenas de pessoas em sessões de composição tentando escrever o próximo hit. O que eu sempre fiz conscientemente é ignorar tudo isso e talvez me desfavorecendo num primeiro momento, com a esperança de criar uma comunidade de pessoas e um som que ressoe com essas pessoas. E crescer desse jeito ao invés de me escorar no que quer que seja popular no momento. Porque isso nunca vai ficar no ouvido do público pra sempre. O objetivo é fazer uma coisa que seja eterna ao invés de algo da moda. Mas tem muita coisa acontecendo que é legal. Estou muito feliz que, por exemplo o que Allie disse, os vocais muito distorcidos e quebrados estão morrendo aos poucos.

Allie X: Acho que, como VERITE disse, essa é a abordagem respeitosa. E dessa abordagem acabam saindo as músicas que serão as pioneiras do próximo grande som. Como eu gosto de chamar, tipo “Royals” foi essa música, ou “Pumped Up Kicks” foi essa música. Tem sempre uma dessas todo ano, ou a cada dois anos.

VERITE: Sinto que Portugal. The Man é tipo que isso agora. Sinto que a música deles é uma versão atualizada de “Pumped up Kicks”. Essa música está definitivamente quebrando o molde do que está no rádio no momento.

Request “Paper Love” on major radios in Canada